Madreperla

Madrepérola

A madrepérola é um mineral biossintetizado por algumas variedades de moluscos para revestir o interior de suas conchas. A madrepérola é composta essencialmente por microcristais de aragonita, que por si só representa cerca de 85% do material que compõe este material. O restante da composição é dividido entre uma proteína chamada conchiolina (13%), que serve como um pequeno cimento para ligar os cristais de aragonita, e água, que representa apenas 3% da composição da madrepérola.

A cor do nácar não se deve, na verdade, a um pigmento específico, mas sim à sobreposição de camadas de materiais cujo índice de refração varia de uma camada para outra. Portanto, a cor é determinada pela posição do observador e pelo ângulo de incidência da luz na superfície do nácar. Algumas variedades de nácar podem ter reflexos amarelos ou roxos, isso se deve principalmente à presença de certos pigmentos nas proteínas da conchiolina. A madrepérola tem uma densidade de 2,95, sua dureza é de aproximadamente 3,5 a 4 na escala de Mohs.

A mais preciosa e preciosa madrepérola, também chamada de "madrepérola livre", é encontrada nos mares e águas territoriais da Austrália, Filipinas, Indonésia, nas costas de alguns países africanos, como Djibuti e Madagascar, e nas costas ocidentais da Índia e do Mar Arábico.


Etimologicamente, o termo madrepérola deriva da palavra árabe "naqqarah". Este material foi e ainda é objeto de uma mania particular por sua beleza e requinte. Várias grandes civilizações conheceram e utilizaram a madrepérola para diversos fins, incluindo a confecção de ferramentas, vasos, joias e até implantes dentários, assim como os maias.

Da China à Roma Antiga, passando pela Pérsia, Mesopotâmia, Egito, Grécia, as grandes culturas do mundo antigo usavam e apreciavam a madrepérola, que em alguns casos servia de moeda de troca.

A partir da Idade Média, a madrepérola assumiu um simbolismo religioso entre os cristãos e muitas vezes foi associada à Virgem Maria por sua brancura e pureza. Algumas grandes conchas também foram usadas como pia batismal ou passaram para símbolos religiosos, como a concha de vieira que simboliza a peregrinação a Compostela.

Hoje em dia, a madrepérola tem vários usos. Da joalheria, à marcenaria, à criação de acessórios de moda, o homem fez muitas maravilhas de artesanato usando este material nobre e único, a madrepérola.


Propriedades da madrepérola


A madrepérola é hoje amplamente estudada na medicina por seu potencial uso na regeneração óssea e seus possíveis usos em cirurgia reconstrutiva. A litoterapia também reconhece várias virtudes à madrepérola, que seriam benéficas para proteger e estimular todo o sistema digestivo. Também seria indicado para combater gripes, febres, doenças oculares e deficiências de cálcio.

Em um nível emocional e espiritual, a madrepérola atua como um elemento calmante. Isso dissiparia as mudanças de humor, raiva, angústia e todos os estados emocionais excessivos que podem afetar a vida cotidiana.

Pedra da intuição e da abertura mental, purificaria a aura e facilitaria o acesso ao corpo astral. A madrepérola promoveria a circulação de energias no corpo e ajudaria a focalizar a mente para facilitar o acesso à sabedoria. Também seria particularmente benéfico para o chakra do plexo solar e o chakra frontal.

Os signos astrológicos de predileção pela madrepérola são os de Câncer, Virgem, Gêmeos, Capricórnio e Peixes.

Para purificar a madrepérola, basta mergulhá-la em água destilada com sal. Para recarregá-lo, os raios solares ou lunares devem devolver rapidamente todo o seu poder e benefícios.

Voltar para o blogue
1 de 4