Ambra

Âmbar

O âmbar, embora não tenha propriedades ou origem mineral, é considerado uma gema ou pedra preciosa pelos especialistas em joalheria. A formação desta pedra deve-se à fossilização de uma oleorresina segregada pelas coníferas há milhões de anos. Podemos dizer que o âmbar pertence à família de gemas chamadas gemas orgânicas como corais, madrepérola, pérolas, marfim, etc...

Como uma pedra formada a partir de resina vegetal, o âmbar é composto de minerais orgânicos amorfos. A pedra é muito frágil e tem uma dureza de 2 a 2,5 na escala de Mohs. Sua baixa densidade de 1,05-1,10 explica o fato de flutuar em água salgada, como é o caso do âmbar do Mar Báltico.

O âmbar pode ser transparente ou translúcido ou mesmo opaco. Seu brilho é resinoso a oleoso e assume uma gama bastante ampla de cores que variam de azul, amarelo, laranja, marrom, verde e azul a marrom-preto.

Os depósitos de âmbar mais notáveis ​​são encontrados em vários países europeus, incluindo Suécia, Finlândia, Grã-Bretanha, Ucrânia, Mar Báltico entre Lituânia e Polônia, ou na República Dominicana e México ...

ambre-pierre-brute


história do âmbar

Etimologicamente, a palavra âmbar deriva do árabe anbar, que significa âmbar cinza, muito apreciado na perfumaria e é uma substância produzida no intestino do cachalote. Entre os antigos gregos o âmbar era chamado de elektron, que é a origem da palavra eletricidade em referência às propriedades eletrostáticas do âmbar descobertas na época por Tales.

Algumas descobertas arqueológicas sugerem que o âmbar é conhecido desde os tempos pré-históricos, principalmente pela fabricação de joias e objetos ornamentais. Os antigos tinham uma estima especial pelo âmbar. Estava presente nos túmulos egípcios e micênicos.

Para os romanos era a pedra da eterna juventude. Essa crença certamente se deve aos poderes de conservação de insetos e animais presos no âmbar. As mulheres romanas pareciam acreditar que usar uma pedra de âmbar preservaria sua juventude.

scropion-piege-âmbre

Para os eslavos, a pedra representava lágrimas petrificadas dos deuses. Para os gregos, Ovídio, o poeta antigo, conta a trágica história das filhas de Hélio que se transformaram em amieiros e choupos e cujas lágrimas se transformaram em pedras de âmbar.

Hoje o âmbar é amplamente utilizado em joias. O sucesso da pedra muitas vezes a torna sujeita a falsificações.


Virtude do âmbar

O âmbar tem sido usado medicinalmente desde o início dos tempos. Hoje, a litoterapia usa o âmbar para aliviar vários tipos de dor, desde enxaquecas a dores de dente, raiva dental, queimaduras leves e gotas.

Diz-se também que o âmbar tem benefícios no alívio de certas condições da pele, como acne, furúnculos, eczema, abscessos, etc ... Alguns falam sobre os méritos do âmbar para aliviar a angina e as condições da garganta e a inflamação da laringe e das amígdalas. A pedra também teria benefícios em estimular e fortalecer o sistema imunológico, combater alergias e promover a cicatrização de feridas e feridas.

No nível psíquico, a característica quente do âmbar ajudaria o usuário a esquecer suas ansiedades e medos para promover serenidade, determinação e autoconfiança para alcançar seus objetivos na vida.

O âmbar também é considerado uma pedra que promove paciência e sabedoria. A dimensão solar do âmbar o torna uma pedra energizante e um baluarte contra a depressão e a negatividade.

Em um nível cármico, os chakras do amor do âmbar são o chakra do coração. A aplicação de uma pedra âmbar no plexo solar ajudaria as pessoas deprimidas a superar seus estados negativos. Aplicado ao chacra laríngeo, o cálculo tem efeito preventivo e curativo contra resfriados, anginas, gripes, etc.

A purificação do âmbar é feita com água corrente ou colocando a pedra em uma tigela com água durante a noite. Por ser uma pedra frágil, é necessário evitar o uso de produtos químicos como solventes e álcool, que danificam fortemente o âmbar. O âmbar não precisa ser recarregado, portanto, evite expô-lo ao sol.

Voltar para o blogue
1 de 4